Insônia e Acupuntura

¼ da população sofre de insônia e, muitas vezes, permanece sem tratamento por falta de informação

É importante dormir. Durante o sono existe um consumo menor de oxigênio, o cérebro emite ondas cujos padrões mudam significativamente, dependendo do estado mental, emocional ou físico: são as ondas delta, teta, alfa e beta. Para conseguir um sono natural e de boa qualidade, é necessário baixar as altas frequências do cérebro, que dominam quando voltamos a nossa atenção para o mundo externo (ondas beta). O sono permite a descarbonização do organismo.

A insônia é o distúrbio de sono mais comum, atingindo cerca de 25% da população e, segundo dados da OMS, somente 5% dos indivíduos com insônia procuram tratamento. "A doença pode ser crônica ou transitória, por esse motivo o tratamento pode variar entre acupuntura, mudança de hábitos e uso de medicamentos", alerta Hildebrando Sábato, presidente do CMBA - Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura.

As principais causas psicológicas da insônia e de um sono não reparador são o estresse, ansiedade e depressão. A preocupação com o dia de amanhã, faz com que muitos percam o sono, remoendo na mente tarefas futuras. A insônia leva a muitas outras complicações, tanto físicas, mentais ou emocionais, que prejudicam as atividades exteriores, alterando o funcionamento de toda fisiologia gerando esgotamento e cansaço do sistema nervoso.

Existem muitos fatores que podem desencadear insônia: choque emocional, mudança de situação social ou familiar, mas a situação mais comum é mesmo o estresse da vida moderna, do desafio e da concorrência profissional, do consumo, que passa a ser preocupação crônica, alterando o funcionamento das glândulas e principalmente a produção de adrenalina, atrapalhando o sono.

A possibilidade de tratar a insônia com acupuntura chega a surpreender o paciente, que não imagina que a insônia é um distúrbio, um mal que acompanha certas pessoas há anos e que pode ter um alivio com o método. É importante que o paciente não fique adiando a busca por tratamento médico, nem se acostume com a dificuldade para dormir.

Segundo Dr. Hildebrando Sabato, a doença não desaparece sem tratamento e essa atitude só tende a evoluir. “As principais dúvidas dos pacientes estão relacionadas ao diagnóstico, ou seja, eles querem saber se têm a insônia e como fazer para ter um sono tranquilo”, esclarece o médico.

Fonte:

CMBA-Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura, o órgão oficial da acupuntura médica do país,  reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina, Associação Médica Brasileira, Federação Nacional dos Médicos e Comissão Nacional de Residência Médica. Criado em 1984, responde pela Acupuntura frente ao meio médico nacional, às autoridades de saúde e às instituições governamentais

Informações à Imprensa

CMBA – Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura

Regina Di Marco     regina.dimarco@rmpress.com.br  

Claudia Maciel         claudia.maciel@rmpress.com.br  

T +55 11 2950.4820