Osteoporose: suplementos de cálcio e os riscos cardíacos

Os suplementos de cálcio tomados por pessoas mais idosas para combater a osteoporose e prevenir fraturas decorrentes, poderiam fazer aumentar o risco de ataque cardíaco, segundo um estudo publicado na mais recente edição do British Medical Journal (BMJ).

Os resultados da pesquisa que incluiu 12 mil pessoas, sugerem que o lugar do cálcio no tratamento da osteoporose deve ser reconsiderado, segundo os autores americanos e neozelandeses.

De acordo com a análise, a ingestão de comprimidos de cálcio estaria associada a um aumento do risco cardíaco de cerca de 25% a 30%. No entanto, o estudo não põe em evidência o aumento significativo de mortalidade, segundo um editorial do BMJ.

Os comprimidos de cálcio são prescritos comumente para reduzir o risco de fratura óssea nas pessoas com mais idade, mas o estudo diz que poderiam aumentar o número de infarto entre as mulheres.

Para saber mais, a equipe internacional dirigida por Ian Reid (universidade de Auckland, Nova Zelândia) realizou uma segunda análise da série de estudos, chegando à conclusão de que o aumento moderado do risco cardíaco sublinhado pelos autores é independente da idade, do sexo, e do tipo de suplemento.

No entanto, uma alimentação mais rica em cálcio, da forma natural, não está associada a um risco aumentado de problemas cardiovasculares.

Num editorial, John Cleland (universidade de Hull, Grã-Bretanha) nota que - sem levar em conta um possível impacto sobre os números de ataques cardíacos - os suplementos de cálcio são, de todas as maneiras, provavelmente pouco eficazes para reduzir as fraturas ósseas.

Esses suplementos não reduzem a mortalidade, estimam, considerando que pelo menos 20% dos pacientes mais idosos morrem anualmente de problemas decorrentes de uma fratura de quadril.

Fonte: Correio Braziliense