Açúcar rouba vitamina, prejudica memória, dá estria

O açúcar, tão comum em bolos, tortas de chocolate e doces, também é muito utilizado em alimentos industrializados e que aparentemente não possuem o ingrediente. A falta de informação pode levar a um excesso da substância no organismo e prejudicar a saúde. Esse é o alerta de Fernando Carvalho, autor de "Açúcar: o perigo doce". Diabético, o autor começou a pesquisar sobre o açúcar e fez descobertas inquietantes. Além de causar os já conhecidos problemas de obesidade, doenças cardiovasculares e cáries, a substância retira vitaminas essências do organismo, prejudica a memória, ajuda a causar estrias e pode deflagrar crises de enxaqueca.

O autor, que por conta da doença tem que evitar determinados alimentos, verificou que pães de forma, carnes embutidas, ervilhas em lata, maionese, ketchup e até cerveja levam doses de açúcar e devem entrar na conta de quem quer (ou precisa) diminuir o consumo da substância.

Leia trecho:

Antigamente, quando o consumo era menor, o açúcar da dieta agia como um veneno administrado homeopaticamente. Hoje, com a aceleração do açucaramento da ração humana, as doses são cavalares mesmo. O alimento, como sabemos, é ao mesmo tempo o cimento que constrói o corpo e o combustível que o movimenta; o açúcar é um adulterador desse cimento e do metabolismo energético. Como dissemos, o envenenamento pelo açúcar começa cedo, com a adição de açúcar ao mingau servido em mamadeiras ou com as papinhas industrializadas oferecidas a crianças que deveriam estar mamando no peito da mãe. O objetivo é viciar o pimpolho ainda no colo da mãe. Mais tarde, essa criança, em vez de leite puro, vai querer achocolatado, e no lugar de uma fruta vai preferir sorvete ou doce.

A ingestão diária da dieta açucarada leva ao distúrbio do metabolismo pelo caminho do descontrole do funcionamento do sistema glandular endócrino. Combinado com o processo de glicação não enzimática das proteínas, são abertas assim as portas para as doenças crônicas, metabólicas e degenerativas. Como o açucar é ingerido em doses diferenciadas e cada pessoa tem uma individualidade biológica, ele atinge as pessoas também diferenciadamente. Em um recém-nascido, por exemplo, uma colher de sopa de açúcar (que alguns livros de puericultura, como foi mencionado, prescrevem como remédio caseiro) é uma verdadeira overdose de veneno, que responde pelo estranho tipo de diabetes que ataca recém-nascidos, uma condição que regride quando pasa o efeito da bomba de açúcar.

Fonte: Folha Online